O Governo reconhece que foi uma manhã heterogénea, tanto no que diz respeito aos pontos de carga de combustível como até ao longo da manhã.

A manhã começou bem. Até às 7 da manhã é inequívoco que o serviços mínimos estavam a ser cumpridos e com mais cargas face ao dia de ontem (...) é verdade que foi perturbadora a declaração do senhor advogado dos sindicatos (...) e houve um período que paragem que mediou entre as 7 e as 10 da manhã", disse João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente e da Transição Energética, reconhecendo que desde estas declarações houve mais perturbações sobretudo na CLC -  Companhia Logística de Combustíveis em Aveiras, mas a partir das 10 horas uma recuperação.

Neste balanço e segundo os números do Governo:

- Prio - que distribui a partir de Aveiro- Ílhavo - 100%. Não há sequer greve. 84 cargas

- Leça da Palmeira - 83 cargas   - 62 camiões a sair às 10 da manhã - 50% da produtividade - estão a ser cumpridos os serviços mínimos

- Sines - 33 saídas - 70% da produtividade - estão a ser ultrapassados os serviços mínimos. Porto com requisição civil para abastecer o sul do país

- CLC - 128 saídas, das quais 36 para o aeroporto (estão programadas 119 para os dia) + 92 saídas de produtos de gasolina e gasóleo. 30% da produtividade -a abaixo do que é a exigência de serviços mínimos. No transporte para o aeroporto está decretada a requisição civil

Matos Fernandes afirmou ainda que só no final do dia será possível saber se foram ou não cumpridos os serviços mínimos e, nos casos concretos, como o aeroporto, a requisição civil. Lembrando ainda que "nove equipas da Forças Armadas estão a fazer transporte de combustível para o aeroporto de Lisboa com a garantia de que ele não virá a falhar."

Sobre os incumprimentos, o ministro diz que o transporte de combustível de Loulé para o aeroporto de Faro é o único caso de falta inequívoca por parte dos motoristas que incumpriram requisição civil, assegurou.

"Os seis motoristas que [pela requisição civil] tinham obrigação de fazer esse transporte faltaram todos ao trabalho." Trabalhadores que foram, segundo o responsável, substituídos por elementos da GNR. 

Face aos números de ontem, os de hoje da rede REPA, são mais positivos: stocks de 58% de gasóleo e 44% para a gasolina. A operação durante a noite, com dez equipas das Forças Armadas a transportar combustível de Sines para o Algarve "fez subir com algum significado as reservas." O ministro disse que queria "que a manhã de hoje fosse melhor que a de ontem e foi de facto: subir em 13 pontos percentuais - gasolina e gasóleo - o stock nas bombas REPA do Algarve."

Já nos postos não urbanos (2.164 dos cerca de 3.000 existentes no país. Dos 2.164, 268 são REPA), onde a capilaridade é menor e inexistência de combustível num posto é obviamente mais preocupante, esta manhã 67% dos postos tinha todos os combustíveis e 88% dos REPA também têm todos. Postos vazios só 197, nenhum da rede REPA.

O governante voltou a dizer que só se o balanço do final do dia mostrar o incumprimento de serviços mínimos será alargada a requisição civil.

Veja aqui: Postos onde pode abastecer durante esta greve