Quando mais barato for o voo mais tentador é sair da rotina.

Se juntarmos aos preços apetecíveis, o verão no hemisfério norte e regras covid menos apertadas, está montando o cenário perfeito para mais tráfego aéreo e mais passageiros.

Os últimos dados mostram que, entre abril e junho, o movimento nos aeroportos nacionais disparou quase 400%, face ao mesmo período de 2020, altura em que o mundo estava praticamente parado devido à pandemia.

Mas foi em Faro que a subida foi mais significativa. 

Mais de metade dos passageiros passou por Lisboa. Acima de um milhão e 700 mil. Apesar do maior salto em matéria de passageiros, de quase 3.000% para mais de 303 mil passageiros, ser no Funchal.

As transportadoras aéreas agradecem, sobretudo as de baixo custo.

O boletim da Associação Nacional de Aviação Civil mostra ainda que Ryanair, Easyjet e Transavia estão a recuperar mais rapidamente. Em Lisboa a TAP ainda lidera com grande margem, mas a distância encurtou no segundo trimestre.

Aproveitar parece ser a palavra de ordem, mas com alguns receios e restrições. Algo que os dados também mostram já que os voos regulares se fazem maioritariamente em Portugal e Europa.

Alda Martins