Humberto Pedrosa vai ser convidado a vender a sua posição integral no capital da TAP à companhia aérea Lufthansa. A proposta faz parte da entrada dos alemães na transportadora portuguesa, que prevê também a compra de parte da participação de David Neeleman. A TVI sabe que o negócio está praticamente acertado, faltando ainda firmar os termos de um acordo com os norte-americanos da United Airlines, que também estão a negociar a entrada na TAP.  

O negócio avalia a TAP em 800 milhões de euros e o memorando de entendimento entre as partes está por semanas, avançou também a TVI.

Mas Pedrosa tem ainda que concordar. O dono da Barraqueiro e maior acionista privado português da TAP pode assim estar de saída do capital da companhia aérea. Humberto Pedrosa tem metade dos 45% que o consórcio Atlantic Gateway detém na companhia aérea nacional e é essa posição que a companhia aérea alemã Lufthansa quer comprar.

O negócio, sabe a TVI, partiu da iniciativa de David Neeleman, sócio de Pedrosa na Atlantic Gateway. Neeleman mantém-se no capital da Atlantic Gateway através da companhia aérea Azul, mas reduzirá a sua posição.Se Pedrosa vender toda a sua posição, encaixará cerca de 180 milhões de euros com esta operação.

O Governo está a acompanhar todo o processo e a TVI sabe que se mantêm todas as condições impostas aos privados quando a privatização foi feita.

A marca TAP terá de ser mantida, assim como a sede em Lisboa e o 'hub' no aeroporto em Lisboa.

O acordo parassocial também se mantém: os privados continuam a gerir a TAP, mas o Estado terá sempre uma palavra a dizer sobre decisões estratégicas.

Em aberto está ainda a possibilidade da United Airlines entrar no negócio. Na negociação que neste momento ainda está presa por alguns pormenores, o acordo terá ainda uma segunda fase, que poderá vir a significar a venda da participação total da Azul, de David Neeleman. Tal dependerá do cumprimentos de objetivos ao longo dos próximos anos. 

Contactado pela TVI, Humberto Pedrosa afirma “a sua vontade de é ficar na TAP mas nunca inviabilizará nenhum bom negócio para a TAP, como nunca inviabilizou no passado”. E garante que “ainda ninguém da Lufthansa falou com ele”. As negociações estão a decorrer diretamente com o seu sócio, David Neeleman.

Pedro Santos Guerreiro