Os trabalhadores do grupo de distribuição alimentar Alicoop de Silves aguardam que o novo plano de insolvência, apresentado sexta-feira à noite, os «desobrigue» das responsabilidades bancárias com o banco BPN, disse a porta-voz da Comissão de Trabalhadores.

O novo plano de insolvência promovido pelo Grupo Nogueira SGPS, S.A., apresentado aos trabalhadores, na sede da empresa em Silves, propõe-se recuperar a actividade económica do grupo detentor de vários supermercados no Algarve, mas não salvaguarda os 350 postos de trabalho.

De acordo com a porta-voz da Comissão de Trabalhadores, o plano «não é o ideal, mas sim, o possível para manter alguns postos de trabalho, e desobrigar os trabalhadores dos encargos bancários que têm com o banco BPN, devido aos empréstimos contraídos em 2008, de cerca de 1,4 milhões de euros, para salvar a empresa».

Segundo Sónia Correia, os trabalhadores manifestaram-se a favor do plano, caso «este os desobrigue dos encargos bancários que têm actualmente, com prestações mensais que variam entre os 70 e os cerca de 300 euros».

O plano propõe que a empresa a constituir ficará obrigada a pagar ao BPN a dívida contraída pelos trabalhadores para injectar fundos na Alicoop e devolver as prestações que entretanto tenham sido pagas ao banco após a declaração de insolvência.
Redação / CPS