A Amorim Energia (AEBV) tem até ao final de 2013 para adquirir ações representativas de 5% do capital social da Galp, ao abrigo do processo de saída da ENI do capital da empresa portuguesa, informou na última noite a empresa portuguesa.

«A AEBV manterá, até 31 de dezembro de 2013, nas mesmas condições estabelecidas em 29 de março, o direito de opção de compra à ENI, a exercer por si ou por terceiro por si indicado, de ações representativas de 5% do capital social da Galp Energia», lê-se numa nota da Galp, hoje enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A Galp refere ainda que as alterações agora estabelecidas «não determinam qualquer alteração à percentagem de direitos de voto imputada à AEBV, à Eni, e à CGD».

O acordo entre a Amorim Energia, a ENI e a Caixa Geral de Depósitos (CGD), celebrado em março, prevê que a ENI venda em bolsa 18% do capital da Galp.

Segundo o mesmo acordo, o empresário Américo Amorim tem a opção de compra ou de indicar um comprador para 10,34% do capital da Galp Energia detidos pela ENI, depois de em julho já ter adquirido 5%.

Depois desta venda, a petrolífera italiana terá ainda 13% da Galp para dispersar no mercado.

Antes do acordo de março, os italianos da ENI detinham uma participação de 33,34% na petrolífera nacional, sendo que no final das várias operações será consumada a saída definitiva da italiana do capital da Galp.
Redação / CPS