O Banco Espírito Santo (BES) está atento a eventuais aquisições que lhe permita ganhar maior dimensão em Espanha, revelou o presidente, Ricardo Salgado, em Madrid, salientando que qualquer negócio terá que ser feito com prudência.

«Estamos sempre a analisar oportunidades. Neste momento, estamos a abrir alguns balcões, mas quando surgem oportunidades, são estudadas», afirmou o banqueiro num encontro com jornalistas em Madrid, citado pela Lusa.

Qualquer eventual negócio terá que ser analisado com «muita prudência», sublinhou, explicando que o mesmo tem que ser adequado ao tamanho relativo do BES em Espanha.

«Quando fizermos uma aquisição temos que ter a certeza que vai acrescentar valor ao BES», disse Salgado, apontando os elevados custos de financiamento que os bancos portugueses hoje enfrentam para justificar a cautela.

«Cada vez mais o capital é mais caro, e qualquer aquisição significativa, é um encargo brutal», assinalou o presidente do BES.

O BES tem atualmente 26 balcões em Espanha, mas o objetivo é alargar a rede, a curto prazo, para o dobro, revelou na quinta-feira Pedro Escudero, diretor da operação de retalho do banco em Espanha.

«Queremos abrir até 50 agências um pouco por toda a Espanha», anunciou o responsável, explicando que o objetivo do BES é estar presente «em todas as capitais de província» do país.
Redação