A TAP registou lucros de 3,1 milhões em 2011, o terceiro ano consecutivo com resultados líquidos positivos para a companhia aérea.

A transportadora atribui os lucros ao forte aumento do número de passageiros, que atingiu um novo recorde, compensando a subida de 37,1% na fatura com combustível, para 717 milhões de euros.

«A manutenção de um resultado líquido positivo pelo terceiro ano consecutivo só foi possível graças ao crescimento da companhia, que transportou um número recorde de 9,8 milhões de passageiros, mais 7,3% que em 2010», explica a empresa em comunicado.

O total de receitas no exercício de 2011 ascendeu a 2,3 mil milhões de euros, evidenciando um aumento de 4,2% face aos 2,2 mil milhões apurados no ano anterior.

«Os resultados positivos da TAP espelham o esforço continuado de melhoria da eficiência, obtida através de ganhos de produtividade, diminuição de consumos e redução de custos, excetuando o combustível. Apesar de a operação ter aumentado 5,9%, em 2011 os custos situaram-se em 1.356 milhões de euros, menos 0,7% que os 1.365 registados em 2010».

Os resultados operacionais caíram 60% para 41,1 milhões de euros. O aumento de 8,5% na procura mais que absorveu a subida de 5,9% na oferta, elevando a taxa de ocupação para 76,3%.

«A capacidade de adaptação da TAP aos elevados preços do combustível é particularmente evidente se se tiver em conta que em 2008, o pior ano da indústria a nível mundial, a companhia registou um prejuízo de 209 milhões de euros com uma fatura de combustível de 703 milhões».

Entre os maiores crescimentos registados em 2011 a companhia destaca os 18% a mais nas linhas que servem o continente americano, os 7,4% das linhas do Brasil e os 9% de aumento verificados nas rotas europeias, apesar da crise económica que afeta o Velho Continente, e que tem provocado grandes perdas na generalidade das companhias aéreas.
Redação / PGM