Os custos de construção cresceram 1,2 pontos percentuais em Novembro do ano passado em relação ao mesmo mês de 2010, mas foram inferiores em 0,1 pontos percentuais face aos observados em Outubro. Os dados são do Instituto Nacional de Estatística.

Também a variação homóloga do índice de preços de manutenção e reparação regular da habitação foi 3,2% em Novembro (contra 3,3% no mês anterior).

A desaceleração do índice da componente materiais, que passou de uma variação homóloga de 2,2% em Outubro para 2% em Novembro, explica a evolução em cadeia do índice de custos de construção de habitação nova.

O INE assinala, em sentido inverso, uma aceleração ligeira da componente mão-de-obra, que registou uma taxa de variação homóloga de 0,7% em Novembro (contra 0,6% no mês anterior).

A variação média dos últimos doze meses fixou-se em 1,5%, inferior em 0,1 pontos percentuais à taxa observada em Outubro.

Apartamentos e moradias

Se nos centrarmos apenas nos apartamento, vemos que o índice recuou 0,1 p.p. entre Outubro e Novembro, enquanto nas moradias se manteve inalterado. Em ambos os casos, aquelas taxas fixaram-se em 1,2% no penúltimo mês do ano.

Quanto ao índice de preços de manutenção e reparação regular da habitação no Continente, registou-se uma variação homóloga de 3,2%, inferior em 0,1 p.p. à taxa registada em Outubro. Esta ligeira desaceleração do índice agregado resultou de um decréscimo de 0,5 p.p. da taxa de variação da componente de serviços, entre outubro e novembro, atenuado pelo acréscimo de 0,2 p.p. registado na componente de produtos. As taxas de variação homóloga destas componentes fixaram-se em 1,4% e em 5,1%, em Novembro, respectivamente.

A variação mensal do índice situou-se em 0,1%, quando no mês homólogo este valor foi 0,3%. A variação média dos últimos 12 meses fixou-se, em Novembro, em 3,1% (3% em Outubro).
Redação