As organizações que representam os trabalhadores da Transtejo e Soflusa convocaram plenários para a próxima semana para decidir as novas «medidas a tomar» para contestar os cortes salariais impostos pelo Governo.

O plenário dos trabalhadores da Transtejo decorrerá na segunda-feira, às 14h00, em Cacilhas, enquanto os funcionários da Soflusa reunirão na terça-feira, às 14h00, no Barreiro, disse à Lusa José Augusto, da Federação de Sindicatos dos Transportes (Fectrans).

A ordem de trabalhos das reuniões é comum e tem apenas dois pontos: «defender os Acordos de Empresa e a contratação colectiva» e «resistir e desenvolver a luta, medidas a tomar».

O dirigente sindical explicou que os cinco sindicatos e as duas comissões de trabalhadores que representam os funcionários das duas empresas contestam os cortes salariais de cinco por cento definidos pelo Governo.

«Por força da Lei do Orçamento do Estado [que inclui a norma da redução dos salários], está a ser violada a contratação colectiva acordada», afirmou José Augusto.

O sindicalista disse que as organizações que representam os trabalhadores vão debater várias formas de luta, não excluindo a greve, mas sublinhou que «a decisão final caberá aos trabalhadores».

Os trabalhadores da Transtejo estiveram em greve no dia 9 e os da Soflusa paralisaram no dia 11 para contestar os cortes salariais.

A Transtejo e a Soflusa asseguram a travessia fluvial do rio Tejo, em Lisboa.
Redação / CPS