A J.P. Sá Couto, empresa produtora do computador Magalhães, recebeu incentivos fiscais relativos a 2009, quando era arguida de um processo de fraude fiscal, de acordo com a lista divulgada pelo Ministério das Finanças.

Com cadastro fiscal, relativo ao pagamento de IVA, a empresa não teria direito aos incentivos.

O Estado dizia-se lesado em 72 mil euros pela empresa de computadores.

O processo acabaria por ser arquivado no final de 2010, com o Ministério Público a apresentar recurso, ainda a decorrer no Tribunal de Relação de Lisboa.

BPN também recebeu benefícios fiscais

Mas a J.P. Sá Couto não foi a única empresa com cadastro a receber incentivos fiscais. O Banco Português de Negócios (BPN) recebeu benefícios pela criação de emprego relativos ao ano de 2009, altura em que já tinha sido nacionalizado por gestão danosa.

De acordo com fonte oficial do banco, estes benefícios dizem respeito a colaboradores que estavam a prazo e que foram integrados na equipa.

Na lista das Finanças há 2.637 empresas que não pagaram qualquer imposto por estarem sediadas no offshore da Madeira.

Há ainda 17 fundações que tiveram direito a benefícios fiscais, enquanto mais de 7.700 empresas ficaram isentas do pagamento do Imposto Sobre Veículos, entre elas os partidos políticos.

No total, mais de 38,5 mil empresas receberam incentivos relativos ao ano de 2009.
Redação / com Joana Rodrigues (TVI)