O MetroBus, um veículo rodoviário eléctrico com várias carruagens, vai ligar a Amadora a Lisboa a partir de 2013 e terá capacidade para transportar mais de 2.500 passageiros em hora de ponta, foi anunciado esta terça-feira.

O novo meio de transporte é um metro de superfície semelhante a um eléctrico, que em vez de circular sobre carris desloca-se nas estradas com pneus de borracha, escreve a Lusa.

O MetroBus vai fazer a ligação entre o futuro interface da CP/Metropolitano da Reboleira e o Dolce Vita Tejo, sendo que o seu percurso atravessará as freguesias da Venda Nova, Falagueira (estação de metro Amadora-Este), Mina, São Brás e Brandoa, numa extensão de cerca de sete quilómetros.

Nesta primeira fase, a infra-estrutura, que foi elaborada pela Câmara da Amadora com um investimento de cerca de cinco milhões de euros, ficará a cargo da Chamartín, já que a empresa que detém o centro comercial vai financiar 4,45 milhões de euros da obra.

Numa segunda fase está previsto um segundo troço, fazendo a ligação entre o Dolce Vita Tejo e Odivelas, num investimento estimado de cerca de 12 milhões de euros.

Para o presidente da Câmara da Amadora, Joaquim Raposo (PS), este é um projecto «amigo do ambiente» que vai melhorar a mobilidade no município, disse durante a apresentação do MetroBus, que decorreu esta terça-feira no Dolce Vita Tejo.

Segundo Joaquim Raposo, a autarquia vai adquirir cinco viaturas, cedendo a concessão a privados, e o objectivo é que o preço dos bilhetes seja o mais baixo possível, de forma a implementar a utilização deste transporte.

Presente na apresentação do MetroBus, o secretário de Estado dos Transportes, Carlos Correia da Fonseca, defendeu que este é um projeto que deve servir de «bandeira» a outros municípios.
Redação / RL