O director do semanário «Sol», José António Saraiva, enviou hoje um mail aos trabalhadores da empresa a informar que a empresa vai ter medidas de austeridade, mas afastou o cenário de mais despedimentos este ano.

Fonte da redacção disse na quarta-feira à Lusa que cerca de 20 trabalhadores da empresa tinham recebido uma proposta de rescisão de trabalho, dos quais seis são jornalistas e um infográfico.

Numa carta enviada aos colaboradores, a que a agência Lusa teve acesso, José António Saraiva informa que a empresa propôs «rescisões amigáveis do contrato» a sete trabalhadores (seis jornalistas e um infográfico).

«Convidei alguns desses jornalistas a ficarem ligados ao jornal, assinando colunas de opinião ou noutro tipo de colaboração regular. E a um editor propus a transferência para a nossa delegação em Luanda», refere o director, no mail a que a Lusa teve acesso.

Na mensagem, José António Saraiva adianta que o orçamento do «Sol» para este ano, já aprovado pelos accionistas, «não prevê mais rescisões na redacção até ao fim do ano».

No entanto, adianta, haverá «algumas medidas de austeridade, que serão a seu tempo comunicadas pela administração, mas que não envolvem redução do quadro redactorial».

Fonte da redacção disse à Lusa que entre as medidas está a redução salarial.
Redação / PGM