A produtora de pasta de papel Altri aumentou os lucros em 25% para 22,2 milhões de euros no primeiro semestre e atingiu um recorde de vendas no segundo trimestre.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa relata que, nos primeiros seis meses de 2012, as vendas atingiram os 266 milhões de euros (251 milhões de euros no semestre homólogo).

No segundo trimestre, a empresa bateu um recorde de vendas, quer em termos de quantidade, quer em termos de valor, atingindo 15,8 milhões de euros, mais 85% do que no período homólogo.

O preço da venda de pasta de papel, no primeiro semestre, ainda foi inferior em 8,0 por cento ao registado em 2011, apesar da trajetória ascendente nos mercados internacionais.

A Altri exportou 208 milhões de euros nos primeiros seis meses de 2012 (92% da produção), atingindo um valor recorde de 113 milhões de euros no segundo trimestre.

A subida dos preços da energia traduziu-se num aumento dos custos da empresa de papel, que subiram 6,2% para 199 milhões de euros.

A receita energética associada à cogeração e outros derivados florestais diminuiu 20% no segundo trimestre, face ao período homólogo, para 9,1 milhões de euros.

O EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) atingiu, na primeira metade do ano, 66,6 milhões de euros, valor que compara com os 63 milhões do semestre homólogo.

Entre janeiro e junho, a Altri investiu 8 milhões de euros e reduziu o endividamento em cerca de 12,4 milhões de euros para 665,9 milhões de euros.

A Altri detém três fábricas de pasta de papel (Celbi, Celtejo e Caima) e gere mais de 85 mil hectares de floresta certificada em Portugal, nota a Lusa.
Redação