A Sonae Sierra registou um resultado líquido de 13,2 milhões de euros no primeiro semestre de 2011, que compara com 648 mil euros no período homólogo de 2010, impulsionado pela melhoria de 44% do resultado indirecto.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa especialista em centro comerciais do grupo Sonae adiantou que «a variação positiva do resultado líquido foi impulsionada por um aumento de 1% do resultado directo e de uma melhoria de 44% do resultado indirecto».



A melhoria do resultado indirecto, ainda que se mantenha no vermelho, de 27,8 milhões de euros negativos para 15,6 milhões de euros negativos, é «consequência da resiliência e da melhoria da eficiência operacional dos activos, que permitiu minimizar os efeitos do comportamento negativo das taxas de capitalização (yields) em Portugal e na Grécia», acrescentou a empresa liderada por Fernando Guedes de Oliveira.

Por seu lado, o resultado directo aumentou 1% nos primeiros seis meses de 2011, de 28,5 para 28,8 milhões de euros.

No primeiro semestre, a Sonae Sierra reforçou a actividade de prestação de serviços a terceiros, com a assinatura de dois contratos de prestação de serviços de comercialização para os centros comerciais Sun Plaza e Vivantis Mall, na Roménia.

Em Espanha, a Sonae Sierra reforçou a sua presença com a assinatura de um contrato para comercializar o Carcaixent Retail Park e, em Itália, assumiu a gestão e comercialização do centro comercial Le Isole, localizado em Piemonte.

Durante o segundo trimestre, a Sonae Sierra iniciou a construção de um novo centro comercial, em Solingen, o quarto na Alemanha, um investimento aproximado de cerca de 120 milhões de euros, em parceria com a MBA Development, que tem a abertura prevista para o final de 2013 ou início de 2014.

Na sequência da estratégia de reciclagem do capital, anunciado pela empresa do universo Sonae, no primeiro semestre de 2011 registou-se uma diminuição nas propriedades de investimento face ao período homólogo de 2010, fruto da venda de dois centros em Espanha (El Rosal e Plaza Éboli) e da entrada em bolsa da Sonae Sierra Brasil.

«Estas vendas e o IPO levaram a uma descida de seus por cento dos proveitos directos dos investimentos, que passaram de 109,7 milhões de euros no primeiro semestre de 2010 para 103,2 milhões de euros», justificou no comunicado enviado ao regulador do mercado.

No mesmo período, o EBITDA (resultado antes de juros, impostos, amortizações e depreciações) reduziu 4% para 55.6 milhões de euros, o que reflecte «os ganhos de eficiência produzidos pelos esforços de contenção dos custos em todas as áreas da empresa».

A Sonae Sierra é proprietária de 49 centros comerciais em Portugal, Espanha, Itália, Alemanha, Grécia, Roménia e Brasil e presta serviços a terceiros em Chipre, Sérvia, Marrocos e Colômbia.