O lucro líquido da Portugal Telecom (PT) - que pela primeira vez inclui a Oi - registou uma queda homóloga de 13,8 por cento no primeiro semestre do ano, para 227,9 milhões de euros. Em causa está a existência de custos extraordinários com a Brasilcel e a Africatel.

De acordo com o comunicado emitido pela empresa na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), esta descida do lucro é justificada com a transferência de reservas cambiais relacionadas com a Brasilcel no segundo trimestre deste ano e 48 milhões de euros relacionados com uma reestruturação da Africatel, no mesmo período.

Por seu turno, o «cash flow» operacional registou um crescimento de 187% face aos seis primeiros meses de 2010, atingindo os 525 milhões de euros, o que reflecte a consolidação da brasileira Oi.

A operadora portuguesa adianta que em Portugal, o «cash flow» operacional foi de 410 milhões de euros, o que representa mais do dobro (mais 164,7%) do que no mesmo período do ano passado.

Quanto a receitas operacionais, a Portugal Telecom conseguiu um aumento, crescendo 45% e atingindo os 2.669 milhões de euros.

Para este resultado contribuiu sobretudo a consolidação da Oi, explicou a operadora presidida por Zeinal Bava, que adianta que mais de metade (59%) das receitas têm origem nos negócios internacionais, com a maior fatia (55%) a ser gerada no Brasil.

A PT anunciou ainda um EBITDA [resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações] de mil milhões de euros, mais 33,8% do que no primeiro semestre do ano passado.

Clientes do Meo aumentam mais de 30%

Já a MEO, televisão por subscrição da Portugal Telecom, fechou o semestre com 919 mil clientes, mais 30,9 por cento que em igual período do ano anterior, tal como os utilizadores de banda larga fixa, que aumentaram em 11,5%.

Contudo, em comunicado enviado ao regulador, a PT divulga que as receitas operacionais da rede fixa diminuíram 5,5%, ou seja, de 971 milhões de euros para 917 milhões de euros, no semestre face ao mesmo período de 2010.

Já as receitas de retalho da rede fixa aumentaram no trimestre 0,9% para os 243 milhões de euros, sobretudo devido ao aumento dos clientes do Meo (mais 217 mil que em igual período de 2010) e da banda larga fixa (totaliza actualmente mais de um milhão). A PT já instalou 173 mil clientes com fibra óptica até casa dos utilizadores.

O EBITDA da Rede Fixa cresceu 1,1% no trimestre, para os 189,8 milhões de euros, representando, de acordo com a operadora, o melhor resultado dos últimos 19 trimestres e mostrando uma tendência de melhoria consistente, não obstante o continuo investimento comercial.

Na TMN, o número de clientes aumentou 0,9%, mais 65 mil clientes, face ao mesmo período de 2010, para 7.334 mil, graças à banda larga móvel.
Redação / CPS