A companhia aérea alemã Lufthansa, que está a aplicar um plano de austeridade, quer suprimir cerca de metade dos seus postos de trabalho administrativos, avançou esta quinta-feira o diário alemão Bild Zeitung.

A Lufthansa quer fazer «cortes drásticos» nos serviços financeiros, gestão de pessoal e na área das reservas de voos, esclarece o jornal alemão.

Só em Frankfurt, onde a Lufthansa tem a sua sede, 1.500 empregos serão suprimidos, prossegue o diário, que se baseia no plano de corte de custos do grupo, o qual data do final do mês de março deste ano.

Questionada pela AFP, a Lufthansa afirmou não estar em condições de «confirmar os números», mas lembrou que a supressão de empregos era «inevitável» para a companhia aérea manter-se competitiva.

«É muito cedo para dar um número», salientou.

A Lufthansa está a preparar desde há vários meses um corte drástico nos custos em todo o grupo.

Nesse sentido, a companhia de aviação alemã tem também em vista acabar com a classe executiva em numerosos voos de longa distância, escreveu a imprensa germânica no final da semana passada.
Redação