Das 20 empresas que compõem o PSI20, 17 têm sociedades sediadas na Holanda, por causa do sistema fiscal daquele país. A Jerónimo Martins acaba de vender capital a uma subsidiária holandesa, uma operação que «não tem implicações fiscais». O PS e o Bloco têm dúvidas. Os socialistas falam até em «iniquidade fiscal» e exigem uma resposta do Governo.

Na Holanda, as gestoras de participações sociais não pagam impostos sobre dividendos e sobre mais-valias.

Por exemplo, quando a Portugal Telecom vendeu a participação que tinha na operadora brasileira Vivo à Telefonica fê-lo através de uma participada holandesa.

O mesmo aconteceu quando a Sonae lançou a oferta pública de aquisição sobre a Portugal Telecom.

A oferta foi feita por uma sociedade holandesa, para não pagar imposto de selo em Portugal.

A Holanda é frequentemente utilizada como uma plataforma para a realização de investimentos em actividades comerciais ou industriais noutros países, de uma forma fiscalmente mais eficiente.
Redação