Durante este ano, 223 Pequenas e Médias Empresas (PME) tentarão a internacionalização nos Estados Unidos da América recorrendo a fundos do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), segundo a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

No seu conjunto, estas PME receberão cerca de 8,5 milhões de euros, concedidos através de diversos sistemas de incentivos, para, por exemplo, participarem em feiras, promoverem os seus produtos e serviços junto de parceiros estratégicos ou realizarem campanhas junto do consumidor.

Em entrevista à agência Lusa em Nova Iorque, o diretor do escritório da AICEP, Rui Boavista Marques, diz que «tanto o número de empresas como o valor global do incentivo subiu» em relação a anos anteriores e explica que «há um número crescente de empresas portuguesas a detetar oportunidades comerciais nos EUA».

O responsável lembra que as exportações para o país crescem há três anos consecutivos, tendo aumentado cerca de 33% em 2010, 13% em 2011 e 25% no ano passado.

Neste momento, fora da União Europeia, os EUA são o segundo comprador de produtos e serviços portugueses, a seguir a Angola.

Boavista Marques diz que, nos últimos anos, «os países da diversificação têm sido fundamentais para compensar as quedas numa Europa em crise».

«Numa altura em que as exportações são o motor da economia portuguesa, os Estados Unidos têm tido um papel essencial», garante o responsável.

Além das PME, 15 associações receberão 1,5 milhões para ações semelhantes, subindo o valor dos apoios concedidos para os 10 milhões.

Boavista Marques diz que estes apoios «traduzem-se num dinamismo e numa presença de mercado muitíssimo grandes».

O responsável admite ainda que «muitas outras empresas estão a fazer o mesmo [promoção no mercado americano] sem apoio público».