"Muito tem sido dito, desde comparações com um grupo que atravessou dificuldades profundas até suspeições quanto ao modelo de gestão, passando pelo quadro de supervisão ou por uma auditoria especial que, ao longo de meses, foi propalada pelos 'media' como forense, colocando-nos sob um manto de dúvida e desconfiança que só agora (conhecidas as conclusões do Banco de Portugal) podemos afastar", reforçou o gestor.