No dia em que foi lançada a fábrica de baterias para carros eléctricos, em Cacia, o chief operating officer da Nissan admitiu a possibilidade de novos investimentos para aumentar a produção prevista de 50 mil unidades anuais.

«A capacidade da fábrica é de 50 mil unidades, mas há espaço para aumentar a produção», disse à Lusa Toshiyuki Shiga, realçando que «as baterias são a componente core do veículo eléctrico e, se a procura aumentar, há oportunidade de investir mais no futuro para aumentar a produção».

E se, «para já», o foco da atenção vai para o projecto da unidade de produção, num investimento de 156 milhões de euros, o número dois da Nissan admitiu, em entrevista à Lusa, que «existem grandes oportunidades».

À margem da cerimónia de lançamento da primeira pedra da fábrica de baterias de iões de lítio, em Cacia, em Aveiro, Toshiyuki Shiga admitiu-se surpreendido com a evolução da mobilidade eléctrica nos últimos anos, sobretudo, «ao nível das mentalidades».

«O Governo português convidou-nos para instalar a fábrica de baterias aqui e o país está envolvido em promover as energias renováveis com uma estratégia muito agressiva», disse o responsável da Nissan, empresa que vai criar 200 postos de trabalho directos no próximo ano.
Redação / RL