A Prisa, grupo de comunicação espanhol que controla a Media Capital, registou prejuízos de 255,03 milhões de euros em 2012, penalizada pela contabilização de provisões de 305,28 milhões de euros destinados a cobrir a deterioração do fundo de comércio.

De acordo com o comunicado do grupo, o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) atingiu 427 milhões de euros no ano passado, menos 2,3% que em 2011.

Destaca-se o negócio da América Latina, onde a Prisa reporta um «crescimento sólido» dos setores de educação e rádio. As receitas procedentes da região cresceram 7,7% e representam agora 26,7% do total das receitas do grupo. Já o EBITDA da região aumentou 12,8%, passando a representar 45% do total.

As receitas da Santillana cresceram 1,8%, apesar da queda de 8,9% nas receitas em Espanha.

Os canais por cabo registaram crescimento de 6,8% nas receitas e de 11,3% no EBITDA recorrente.

A prejudicar os resultados do grupo que controla a dona da TVI, estiveram as «quedas muito significativas no mercado publicitário em Espanha e Portugal».

Na imprensa, os resultados «viram-se muito afetados pela queda do mercado publicitário em Espanha», com as receitas desde segmento a caírem 20,6%.

No final de 2012, a dívida líquida do grupo era de 3.083,37 milhões de euros, menos 450,21 milhões que no final de 2011.
Redação / PGM