[Notícia actualizada às 8h55]

2010 foi um ano de crise mas não para a PT. A operadora nacional fechou o exercício com os lucros mais altos de sempre (5.672 milhões de euros) alcançados por uma empresa portuguesa, um valor inflacionado pela venda da Vivo aos espanhóis da Telefónica e em linha com o esperado.

Em 2009, a empresa tinha atingido um resultado de 684 milhões. Os lucros antes de impostos, amortizações e depreciações (EBITDA) caiu 4,3% para quase 1,492 mil milhões, um resultado condicionado pela queda das receitas da TMN (8,6% para para 1,387 milhões).

Se olharmos apenas para o desempenho do quarto trimestre os dados são menos positivos, com os lucros a derraparem 82,5% para os 54,5 milhões. Esta queda foi bem maior do que a esperada pelos analistas contactados pela Reuters, cuja estimativa apontava para um resultado de 89,1 milhões.

Num comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários, a Portugal Telecom (PT) explica que ajustou as suas demonstrações financeiras referentes a períodos anteriores «de forma a reconhecer o negócio da Vivo como operação descontinuada».

As contas de 2010 foram «parcialmente» compensadas «por um aumento das despesas não recorrentes e dos custos com o programa de redução de efectivos», para além de menores ganhos em empresas associadas, «principalmente em resultado do ganho obtido com a alienação» da marroquina Médi Télécom.

As receitas operacionais cresceram 0,2% para mais de 3,7 mil milhões de euros.

A dívida líquida do grupo PT fixou-se em 2 mil milhões de euros, menos 56%.

O Capex total (investimento) também declinou, mas 5,9% para 798,4 milhões.

Dividendo parte-se em dois

A empresa liderada por Zeinal Bava vai propor em assembleia geral o pagamento de um dividendo ordinário intercalar este ano, «com base no desempenho financeiro da empresa».

O conselho de administração explica no mesmo comunicado que «tem intenção de aprovar o pagamento de um dividendo ordinário intercalar com base no desempenho financeiro da empresa, de modo a permitir um retorno mais homogéneo aos seus accionistas ao longo do ano».

A PT vai distribuir a segunda parte do dividendo extraordinário decorrente do negócio da Vivo - no valor de 65 cêntimos por acção - e um dividendo ordinário no mesmo valor que diz respeito ao exercício do ano passado, «um aumento de 13% em relação ao compromisso inicial da PT de distribuir 0,575 euros referentes ao mesmo período».

Em cima da mesa está ainda a propsta relativa à «adopção de uma política de dividendos progressiva, com o objectivo de aumentar anualmente entre 3% e 5% o dividendo por acção para o período compreendido entre os anos fiscais de 2012 e 2014».

1 milhão de clientes na banda larga

Quanto à banda larga fixa, a PT atingiu um milhão de clientes, reflectindo um crescimento de 16% face a 2009. O Meo já conquistou 830 mil clientes, mais 249 mil.

A TMN tem agora cerca de 7 milhões e meio de clientes, sendo que as receitas caíram 8,6% para 1,39 mil milhões de euros.

Na rede fixa, a quebra foi de 1% para 1,9 mil milhões.
Redação / Vanessa Cruz