A Renault vai eliminar 7.500 postos de trabalho em França até 2016 para reduzir custos num mercado europeu em queda pelo sexto ano consecutivo, refere a Bloomberg.

«A Renault vai cortar 5.700 postos de trabalho durante o período de maior dificuldade», afirmou Sophie Chantegay, porta-voz oficial da marca francesa numa entrevista telefónica à Bloomberg.

De acordo com a France Presse, os 5.700 trabalhadores serão dispensados através da não renovação de contratos e os restantes 1.800 serão saídas feitas através de rescisões amigáveis.

O presidente executivo da Renault, o brasileiro Carlos Ghosn, afirmou na segunda-feira no Salão de Detroit que o mercado europeu de automóveis vai cair 3% este ano, e, apesar disso, a Renault não vai fechar qualquer fábrica em França.