O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, manifestou-se esta terça-feira «extremamente desiludido» com a decisão anunciada na véspera pela Argentina de expropriar 51 por cento do capital social da petrolífera YPF, controlada pelo grupo espanhol Repsol.

José Manuel Durão Barroso, ao ser questionado sobre o assunto durante uma conferência de imprensa conjunta com o presidente da Alemanha, Joachim Gauck, em Bruxelas, lembrou que a Comissão dera conta das suas preocupações às autoridades argentinas e pedira que fosse encontrada uma solução razoável para todas as partes, pelo que o anúncio de segunda-feira constitui uma surpresa negativa.

«A Comissão Europeia transmitiu as suas preocupações ao governo argentino, sublinhámos a necessidade de que se encontrem soluções de mútuo acordo que não prejudiquem o clima de negócios, e por isso estou seriamente desiludido com o anúncio de ontem (segunda-feira)», disse citado pela Lusa.

O presidente da Comissão acrescentou que Bruxelas espera que as autoridades argentinas cumpram as suas obrigações e os seus compromissos internacionais.

Na segunda-feira, a presidente da Argentina, Cristina Fernandez de kirchner, declarou de utilidade pública e sujeito a nacionalização 51 por cento da petrolífera YPF, controlada pela espanhola Repsol, uma decisão que as autoridades espanholas já classificaram como um «gesto de hostilidade».
Redação / CPS