O vice-presidente da TAP admitiu esta sexta-feira que a companhia aérea só conseguirá crescer se aumentar a frota para além dos aviões já encomendados e estimou que as vendas pela internet passarão a representar 30% do negócio total da empresa.

«É evidente que para continuarmos a crescer vamos ter que ter mais aviões, foi por isso que crescemos nos anos anteriores [com mais aviões a viajar para mais destinos]», disse o vice-presidente da companhia aérea aos jornalistas, à margem do 30.º Congresso da Associação das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), que decorre em Coimbra, citado pela Lusa.

A TAP tem encomendado aparelhos A350, mas Luiz Gama-Mór admite que estes vão ajudar ao desenvolvimento das rotas de longo curso e que é preciso crescer também nos destinos de curta distância.

Vendas pela internet vão pesar 30% do total em dois anos

O vice-presidente da TAP disse ainda acreditar que as vendas da companhia aérea pela internet vão continuar a crescer, estimando que nos próximos dois anos passem a representar 30% do negócio total da empresa.

Atualmente, a venda direta de bilhetes de avião pela internet da transportadora - que está em processo de privatização - tem um peso de 14% do global.

No futuro, «vai haver um maior volume de vendas na internet. Ainda temos muitos países em que as vendas por este canal são baixas e que têm um grande potencial de crescimento».

Luíz Gama-Mór exemplicou com o Brasil. «Como entrámos mais tarde [através da internet] neste mercado, estamos a crescer 90%, já que a penetração da internet é muito baixa ainda».

Atualmente, 80% das vendas da TAP, no global dos mercados, é efetuada através das agências de viagens e 20% através dos canais diretos (internet e telefone).

Só analisando o mercado português, 70% dos bilhetes de avião da TAP são adquiridos pelas agências de viagens e 30% pela internet e telefone.

A utilização de canais diretos pelos consumidores representa, em regra geral, menores custos para as empresas. No caso da TAP, de acordo com o vice-presidente da companhia, «vender pela internet é seis vezes mais barato».

Luíz Gama-Mór disse ainda, durante a sua intervenção no Congresso da APAVT, que «o fenómenos das low-cost [as chamadas companhias aéreas de baixo custo] impulsionam os consumidores para a internet». Por exemplo, segundo o mesmo, quando a easyjet passou a voar para a Madeira as vendas da TAP pela internet para o mesmo destino aumentaram.

O 38.º Congresso da APAVT, sob o tema «Potenciar recursos, Romper bloqueios, Ganhar Mercados», vai decorrer em Coimbra até sábado.

O empresário German Efromovich, dono do grupo Synergy, entregou, também esta sexta-feira, a única proposta vinculativa para a compra da TAP. O empresário, que adquiriu recentemente a nacionalidade polaca, admite que o problema da companhia é o elevado investimento necessário para reforçar a frota.

Caso esta proposta única não sirva os interesses nacionais, o Governo poderá suspender o processo de privatização, que tinha como objetivo concluir ainda este ano.
Redação