"O risco que corremos é o de ficarmos complacentes, isso é claramente um risco. É muito tentador quer dar apenas boas notícias. Mas é importante manter uma âncora firme, para não perdermos aquilo que já conquistámos."




reviu em alta as previsões para Portugal

“Temos de encontrar uma solução que seja aceitável para as duas partes, sabendo que isso significa talvez atravessar algumas linhas vermelhas”.
 

 O país continua à espera de uma tranche de ajuda financeira superior a sete mil milhões de euros.