"Em 2016, o défice é de 2,6%, menos 0,4 pontos percentuais do que em 2015. Paralelamente, o défice estrutural deverá situar-se nos 1,1%, resultando numa redução igualmente significativa de 0,2 pontos percentuais", disse o ministro das Finanças Mário Centeno no briefing do Conselho de Ministros.

Centeno prosseguiu dizendo que "este é um orçamento responsável, favorece o crescimento económico e a criação de emprego; melhora a proteção social e assegura o rigor das contas públicas, reduzindo o valor do défice e da dívida pública".






confiante num acordo com Bruxelas