Aprovado que está o Orçamento do Estado para 2017 -  só com votos esquerda parlamentar na votação final global -, o Presidente da República espera agora que o documento siga para Belém, já que o tempo urge.

Espero que chegue rapidamente à Presidência da Republica para eu poder analisar".

Foram estas as parcas palavras de Marcelo Rebelo de Sousa, adotando um sentido prático em relação à aprovação do documento, quando questionado pelos jornalistas no final do almoço oferecido aos reis de Espanha no Palácio da Bolsa, no Porto.

Veja também: Costa 'foge' a perguntas e promete gestão de rigor para 2017

Foi ainda interpelado sobre a Caixa Geral de Depósitos, tendo Marcelo voltado a afirmar a importância de fazer do banco público uma "instituição forte" e de "pôr de pé" os planos de restruturação e recapitalização. Basicamente, repetiu o que já tinha dito na segunda-feira.

Tenho a dizer que eu espero que haja a possibilidade de fazer o mais importante, que é uma Caixa forte, pôr de pé o plano de restruturação e recapitalização para o bem dos portugueses".

Logo de seguida,rodeado por algumas das dezenas de pessoas que aguardavam o Presidente, Filipe VI e Letizia Ortiz, acenou à multidão e deu ainda conta do estado de espírito dos monarcas em relação à cidade Invicta: "O Porto, como sempre, ultrapassou as expectativas e os reis partem para Lisboa com o coração cheio. Correu muito bem. Estavam maravilhados com o que viram em Portugal de avanço tecnológico e até com o tempo".

Direita diz que "a máscara caiu" e silêncio de Costa é "ensurdecedor"

Vanessa Cruz