O Governo prevê que, em 2021, haja despesas de 50 milhões de euros com a reprivatização do ex-Banco Português de Negócios (BPN), acima dos 40,8 milhões de euros estimados para este ano, segundo a proposta do Orçamento do Estado.

A verba consta do quadro relativo às despesas excecionais das Finanças integrado no relatório do Orçamento do Estado para 2021 (OE2021) e deverá estar relacionada com várias eventualidades que foram contratualizadas entre o Estado e o Banco BIC aquando da venda do BPN em 2012 (por 40 milhões de euros).

Entre elas, constavam a devolução de créditos em incumprimento ou despesas relacionadas com o desfecho dos processos judiciais que envolvem o ex-Banco Português de Negócios.

O relatório que acompanha a proposta orçamental, hoje entregue na Assembleia da República, prevê ainda que no próximo ano o Estado recupere 63 milhões de euros relativos a créditos do Banco Privado Português (BPP).

/ CE