A redução do transporte aéreo, face ao impacto da pandemia de covid-19, levou a União Europeia (UE) a perder cerca de sete milhões de postos de trabalho diretos e indiretos, divulgou esta segunda-feira a Autoridade Nacional da aviação Civil (ANAC).

Na Europa, o impacto social da redução do transporte aéreo foi particularmente difícil, levando à perda de cerca de sete milhões de postos de trabalho diretos e indiretos”, afirmou o presidente da ANAC, Luís Miguel Ribeiro, que falava no ‘Aviation Day’, uma iniciativa organizada no âmbito da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia.

Assim, segundo este responsável, a recuperação do setor vai ser “mais longa” do que o que se previa, sendo assim necessário dar “segurança” aos clientes, tendo por base um conjunto de normas e protocolos.

No entanto, apesar das medidas implementadas, é necessário “continuar a preparar respostas coordenadas e consistentes”, tendo em conta a evolução epidemiológica, acrescentou, lembrando que para a presidência portuguesa a recuperação da confiança dos cidadãos é importante.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.194.716 mortos no mundo, resultantes de mais de 152 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

/ LF