Com o desconfinamento vem a necessidade de os países recuperarem os turistas perdidos, e ajudarem as economias.

Criatividade é a palavra. Desde cobertura dos custos, caso fique infetado com Covid-19, até oferta de estada e visitas, passando por promoções em voos tudo vale.

Se quer ir mais longe do que “Cá dentro”, há destinos ansiosos por o receber. Mas também ainda há muitas restrições de entrada. Ou seja, sair de Portugal pode ser ainda uma tarefa difícil, dado que cada país está a reabrir ao seu ritmo aos turistas, tanto para os vizinhos da União Europeia como para outros locais.

Se pretende sair da União de férias, vale a pena saber que as fronteiras externas estão fechadas até 15 de junho. 

Aústria

Fechou as fronteiras terrestres com a Alemanha, Itália, Suíça, Liechtenstein, Eslováquia e República Checa, mas Viena planei reabrir totalmente a sua fronteira com a Alemanha em 15 de junho e até lá, quem sabe, também com outros vizinhos.

Para quem chega à Áustria, por exemplo, por via aérea, é necessário apresentar um atestado médico comprovativo de um Covid-19 negativo. O certificado não pode ter mais de quatro dias.

É ainda proibida a entrada por via aérea para cidadãos provenientes de países fora do espaço Schengen [Áustria, Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Islândia, Itália, Letónia, Lituânia, Liechtenstein, Luxemburgo, Malta, Noruega, República Checa, Países Baixos, Polónia, Portugal, Suécia e Suíça].

Bélgica

As fronteiras estão, para já, fechadas e o país proibiu viagens não essenciais ao exterior.

Bulgária

Deve abrir fronteiras com a Sérvia e com a Grécia já esta segunda-feira, dia 1 de junho.

Croácia

Reabriu a fronteira com a Eslovénia em meados de maio e deve fazer o mesmo com a Áustria, República Checa, Hungria e Eslováquia esta sexta-feira.

Às pessoas que chegam é solicitado o isolamento por 14 dias, se tiverem estado em contato com alguém infetado com Covid-19, diz o Euronews.

Chipre

Optou por uma retoma faseada no próximo mês, com a permissão de voos comerciais de um número selecionado de países com baixas taxas de infeção por Covid-19 para impulsionar o turismo.

Os primeiros voos começarão em duas fases - 9 e 20 de junho, diz o Euronews. O primeiro grupo é composto por Grécia, Malta, Bulgária, Noruega, Áustria, Finlândia, Eslovénia, Hungria, Israel, Dinamarca, Alemanha, Eslováquia e Lituânia. O segundo grupo é formado pela Suíça, Polónia, Roménia, Croácia, Estónia e República Checa. Portugal não consta destas listas.

A partir de 20 de junho, os passageiros do primeiro grupo de países não precisarão de certificados de saúde, mas os do segundo grupo ainda precisarão.

Chipre vai pagar despesas das férias aos turistas infetados

O Chipre comprometeu-se a pagar todas as despesas de férias a quem tiver um resultado positivo para o novo coronavírus, depois de já estar instalado no país.

Numa carta pública divulgada esta quarta-feira, o governo anunciou que, mediante aquela situação, pagará os alojamentos, os medicamentos e a alimentação dos doentes e das suas famílias.

Os turistas “apenas terão de suportar os custos da viagem até ao aeroporto e o voo de regresso a casa”.

Eslovénia

Reabriu as fronteiras aos cidadãos da UE em 15 de maio. Citado pelo Euronews, o primeiro-ministro, Janez Jansa, vangloriou-se de que o país ter "a melhor situação clínica da Europa."

Eslováquia

A fronteira da Eslováquia ficou aberta para a Hungria e a República Checa a partir de quarta-feira (27 de maio), mas com algumas restrições.

Nenhuma quarentena será necessária se a estada for inferior a 48 horas. A fronteira do Luxemburgo com a Alemanha reabriu em 15 de maio.

Espanha

As fronteiras serão reabertas para turistas a partir de 1 julho. Atualmente, apenas cidadãos espanhóis, residentes na Espanha (que devem comprovar a residência habitual), trabalhadores transfronteiriços, profissionais de saúde ou de assistência a idosos que vão trabalhar e pessoas que podem comprovar força maior ou em situação de necessidade, é que podem entrar via portos e aeroportos do país. As exceções também incluem pessoal diplomático e todos os que estejam relacionado com o transporte de mercadorias.

Nenhum dos regulamentos é aplicável a Andorra ou Gibraltar, diz o Euronews.

Atualmente, as pessoas que entram no território nacional devem ficar em quarentena por 14 dias após sua chegada, mas a regra também terminará em 1 de julho.

Dinamarca

As fronteiras estão fechadas para estrangeiros. Atualmente, somente cidadãos ou residentes da Dinamarca, Groenlândia ou Ilhas Faroé podem entrar, ou os que tenham um "propósito digno".

Desde 25 de maio, que as pessoas com residência permanente em um dos cinco países nórdicos (Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia) ou a Alemanha poderão voltar a entrar se tiverem uma relação com alguém na Dinamarca, avós do país ou façam viagens de negócios.

A reavaliação do controlo temporários nas fronteiras tem sido permanente.

Finlândia

As fronteiras terrestres da Finlândia estão fechadas até, pelo menos, 14 de junho. Foram reabertas para os trabalhadores do espaço Schengen em meados de maio.

França

O primeiro-ministro Edouard Philippe anunciou planos para reabrir a fronteira da França com os países da UE e o Reino Unido a partir de 15 de junho, seguindo os planos de outros países da EU, recorda o Euronews.

Por enquanto, viajar para a França é restrito, sendo permitida apenas viagens essenciais para quem não mora no país.

Os viajantes que chegam do Reino Unido ou da Espanha estarão sujeitos a uma quarentena voluntária. Pessoas de fora da UE ou do Reino Unido ainda não podem viajar para a França, exceto em circunstâncias especiais.

Alemanha

Os viajantes têm de ter um motivo válido para entrarem na Alemanha. No entanto, as restrições nas fronteiras estão menos apertadas.

O controlo nas fronteiras com a Áustria, Suíça, França e Dinamarca e dos passageiros que chegam de avião da Itália e da Espanha permanecem em vigor até 15 de junho.

Cidadãos da UE e cidadãos do Reino Unido, Liechtenstein, Suíça, Noruega e Islândia e membros da família desses cidadãos podem voltar ao país de origem ou local de residência normal na Alemanha ou chegar ao seu país via Alemanha caso precisem.

Grécia

As fronteiras devem reabrir em 15 de junho, mas apenas para cidadãos vindos da Alemanha, Israel, Chipre, países dos Balcãs e Bálticos.

Os turistas poderão entrar na Grécia sem fazer o teste Covid-19 ou permanecer em quarentena, quando os voos internacionais se reiniciarem a 1 de julho, mas as autoridades de saúde farão testes no local quando necessário.

Grécia reabre cafés e ferries

A Grécia reiniciou os serviços regulares de ferry para suas ilhas na segunda-feira, dia 25 de maio. À medida que cafés e restaurantes também vão reabrindo e retomando os seus negócios, noticia o ABC News.

A baixa taxa de infeção do país levou o governo a iniciar a temporada três semanas antes da data prevista para 15 de junho.

Tal como em Portugal, o turismo é vital para a economia grega, contribuindo diretamente com mais de 10% para o Produto Interno Bruto do país.

Hungria

As fronteiras estão abertas com a Roménia, Eslováquia, República Checa, Eslovénia e Sérvia, embora com restrições. As fronteiras também estão abertas na Croácia, se houver uma reserva de férias. A fronteira com a Áustria está fechada.

Islândia

Deve reabrir em 15 de junho. Os turistas serão testados à chegada e algumas horas depois receberão o resultado pelo telefone, através de uma aplicação móvel de rastreio.

As autoridades ainda não esclareceram os procedimentos para quem tem um resultado positivo.

Irlanda

As autoridades sanitárias estão a exigir a qualquer pessoa, exceto as oriundas da Irlanda do Norte, uma quarentena de 14 dias, incluindo residentes irlandeses.

À chegada é necessário preencher um formulário de localização, exceção feita aos prestadores de serviços essenciais.

Itália

A Itália planeia reabrir as fronteiras em 3 de junho aos cidadãos da UE, Reino Unido, Schengen, Andorra e Mónaco, após que entrou em vigor em 9 de março do encerramento total.

Algumas regiões estão a tomar precauções para garantir que a reabertura não crie novos grupos de infeções.

Diz o Euronews que o governador da Sardenha admite exigir aos visitantes da ilha um teste negativo para o vírus ou submetê-los a esse teste à chegada.

Já o governo regional da Toscana afirma que qualquer visitante do exterior ou de outra região italiana deve passar por uma quarentena por 14 dias.

Sicília paga metade do voo

O governo regional cobrirá metade do custo dos voos dos visitantes e um terço de suas despesas com hotéis, de acordo com a revista Time Out.

A Sicília perdeu mais de mil milhões de euros em receitas relacionadas ao turismo desde que a Itália foi encerrada. Agora as autoridades da ilha devem oferecer grandes descontos, não só no voo mas em estadas em hotéis, além de entradas gratuitos para todos os museus e locais arqueológicos. As informações estão disponíveis em Visit Sicily.

Lituânia, Estónia e Letónia

O trio do Báltico abriu as fronteiras, entre si, a 15 de maio. Somente cidadãos e residentes podem viajar entre os três países.

As fronteiras externas permanecem fechadas. A Estónia diz que não abrirá até, pelo menos, 15 de junho. Já o estado de emergência da Letónia deve terminar a 9 de junho. Enquanto a Lituânia também permitiu a entrada de cidadãos da Polónia para negócios e estudo. A quarentena imposta dura, para já, até 31 de maio.

Luxemburgo

A fronteira do Luxemburgo com a Alemanha reabriu em 15 de maio.

Países Baixos

As fronteiras estão abertas para quem viaja dentro do espaço Schengen. No entanto, o governo desaconselhou viagens não essenciais.

Noruega

A Noruega fechou as fronteiras. Os viajantes estrangeiros não podem entrar e o governo desaconselha todas as viagens internacionais que não são estritamente necessárias até 20 de agosto. Quem mora ou trabalha na Noruega pode entrar e os aeroportos estão abertos.

Até 15 de junho, poderá abrir uma exceção para os países nórdicos. E até 20 de julho, para alguns países europeus vizinhos.

A Noruega tem uma quarentena de 10 dias para aqueles que retornam de viagens internacionais.

Polónia

A Polónia fechou suas fronteiras com vários países, incluindo a República Checa, Eslováquia e Alemanha.

República Checa

Desde terça-feira, 26 de maio, que as fronteiras foram abertas com a Alemanha e a Áustria. A partir de 27, quarta-feira passada, o país abriu sua fronteira com a Eslováquia e a Hungria, mas com restrições.

Residentes de Estados-membros da UE podem entrar para realizar atividades económicas, visitar familiares ou estudar em uma universidade. Todos terão que apresentar um teste negativo para Covid-19 à entrada.

Reino Unido

As fronteiras estão abertas. A partir de 8 de junho, os visitantes do exterior deverão ficar em quarentena por 14 dias. Os isentos dessas medidas incluem pessoas que viajam da Irlanda, das Ilhas Anglo-Normandas ou da Ilha de Man.

Como em outros países, certas profissões estão isentas destas regras.

Roménia

Reabriu a fronteira com a Hungria.

Suécia

A Suécia introduziu restrições nas fronteiras, mas só se aplica a viagens não essenciais de países fora da UE / EEE, exceto o Reino Unido e a Suíça.

Essa restrição entrou em vigor em 19 de março e foi prorrogada até 15 de junho.

Suíça

A Suíça, que instaurou controles de fronteira em 13 de março, reabrirá suas fronteiras com a Alemanha, Áustria e França em 15 de junho, se a situação permitir.

Todas as restrições de viagem na fronteira com a Itália permanecerão em vigor até novo aviso.

Qualquer cidadão estrangeiro que deseje entrar na Suíça e não possuir um visto de residência válido ou permissão de trabalho será recusado.

Atualmente, os passageiros aéreos do exterior só podem entrar no país pelos aeroportos de Zurique, Genebra e Basileia.

As autoridades suíças não impuseram medidas de quarentena às pessoas que entram no país.

MÉXICO e as ofertas de estadas e bilhetes

Do outro lado do Atlântico, no continente que por estes dias mais sofre com a pandemia, o México lidera, para já, em criatividade com o “2” e a campanha 2+2. Diz o Daily Mirror que os hotéis vão oferecer duas noites grátis para cada duas noites reservadas ou uma estada grátis para duas crianças quando dois adultos reservarem. Uma

Vale tudo para convencer os turistas a escolherem um resort na Riviera Maia, ao largo de Cancun. Ofertas de golfe, parques temáticos e aluguer de carros fazem parte de um plano agressivo que envolve cerca de 200 empresas privadas e será oficialmente lançado a 15 de junho para ajudar na recuperação pós coronavírus.

Assim a oferta 2 + 2 também será estendida ao aluguer de carros, o que significa que os turistas podem ter dois dias gratuitos a cada quatro dias em que estiverem com um veículo.

Roberto Cintron, presidente da Associação de Hotéis de Cancun, Puerto Morelos e Isla Mujeres, citado pela publicação britânica disse que estão “muito felizes e, acima de tudo, comprometidos no desafio por causa da grande participação, nesta campanha, das diferentes associações de hotéis e da indústria do turismo em geral."

A campanha está a ser promovida sob a hashtag # Come2MexicanCaribbean com a mensagem: “Veja, para ter a oportunidade de ganhar férias por toda a vida em qualquer um dos destinos do Caribe mexicano. A partir de junho de 2020.” Isto numa altura em que os hotéis e restaurantes preveem reabrir a partir de 8 de junho, após o levantamento da quarentena.

Veja também: Viagens e alojamento para as férias: se está a marcar proteja-se

Alda Martins