O Governo vai retomar na quinta-feira as negociações com os partidos à esquerda sobre o Orçamento do Estado para 2021, anunciou esta quarta-feira o secretário-geral adjunto do PS, nomeando em concreto o Bloco de Esquerda (BE).

Queria dizer que, por iniciativa do Governo, durante o dia de amanhã [quinta-feira] e durante a manhã haverá de novo diálogo e conversações com os partidos, nomeadamente com o próprio BE, tendo em vista garantir a confirmação da disponibilidade negocial da parte do Governo", declarou José Luís Carneiro aos jornalistas, no Palácio de Belém, em Lisboa.

O secretário-geral adjunto do PS referiu que na fase de debate orçamental na especialidade foram apreciadas "cerca de 1500 propostas" e que até o PSD, "que à partida esteve contra o Orçamento, apresentou propostas que representarão cerca de 750 milhões de euros de despesa".

José Luís Carneiro falava tendo ao seu lado a líder do grupo parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes, após os dois terem sido recebidos em audiência pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que esteve desde terça-feira a ouvir os partidos com assento parlamentar sobre a pandemia de covid-19 e o Orçamento do Estado para 2021.

Segundo o dirigente socialista, "desde o início que o Governo e o PS, com um esforço parlamentar que deve ser sublinhado, abriram todas as portas ao diálogo e à convergência" sobre o Orçamento para o próximo ano.

Mas o diálogo e a negociação não pode ser um finca-pé. Olhámos para as propostas que o Bloco apresentou e dá ideia de que estamos no princípio do exercício - e já não estamos propriamente no princípio do exercício orçamental, estamos a concluir já um processo de discussão e de diálogo na especialidade", observou.

Em seguida, o secretário-geral adjunto do PS reiterou que, "contudo, e por iniciativa do Governo, durante a manhã do dia de amanhã [quinta-feira] voltará a haver negociações, tendo em vista aproximar aquilo que for de aproximar e concluir pela integração daquilo que for de integrar".

Quanto aos partidos com os quais o Governo se irá reunir, José Luís Carneiro apenas nomeou em concreto o BE e disse que o PS "tem dialogado nomeadamente na abertura para a integração das suas propostas em sede orçamental com os parceiros políticos à esquerda parlamentar".

Questionado se o PS também estará representado nessas reuniões, respondeu: "A informação de que dispomos é que será só com o Governo".

A votação final global do Orçamento do Estado para 2021 está agendada para 26 de novembro.

A proposta do Governo foi aprovada na generalidade em 28 de outubro com votos a favor apenas do PS, abstenções de PCP, PAN e PEV e votos contra de PSD, BE, CDS-PP, Chega e Iniciativa Liberal.

Governo ainda sem expectativa de mudança na posição política do Bloco

O Governo confirma que na quinta-feira terá uma reunião com o Bloco de Esquerda sobre o Orçamento, mas considera não haver ainda expectativas de mudança de posição dos bloquistas, que votaram contra a proposta na generalidade.

Teremos uma reunião de trabalho com o Bloco de Esquerda antes de começar [na sexta-feira] o processo de discussão do Orçamento do Estado para 2021 na especialidade. Da parte do Governo não há qualquer expectativa em especial em relação aos resultados dessa reunião", disse hoje à agência Lusa fonte do executivo.

Hoje, no Palácio de Belém, após ter sido recebido em audiência pelo Presidente da República, o secretário-geral adjunto do PS, José Luís Carneiro, anunciou que o Governo vai retomar na quinta-feira as negociações com os partidos à esquerda sobre o Orçamento do Estado para 2021, nomeando em concreto o Bloco de Esquerda.

Queria dizer que, por iniciativa do Governo, durante o dia de amanhã [quinta-feira] e durante a manhã haverá de novo diálogo e conversações com os partidos, nomeadamente com o próprio Bloco de Esquerda, tendo em vista garantir a confirmação da disponibilidade negocial da parte do Governo", declarou José Luís Carneiro aos jornalistas

Na quinta-feira de manhã, quando acontecer esta reunião entre Governo e Bloco de Esquerda sobre o Orçamento do próximo ano, o primeiro-ministro, António Costa, por sua vez, estará a participar na reunião sobre a evolução da covid-19 em Portugal no Infarmed, em Lisboa.

/ DA