Para Paulo Almoster, editor de economia da TVI e director da Agência Financeira, é difícil de entender o romper de negociações entre o Governo e PSD tendo em vista a viabilização do Orçamento do Estado de 2011. Isto porque o que os separa são - ninharias.

«Pura e simplesmente ninharias, porque a diferença, segundo as contas de Eduardo Catroga apresentadas esta manhã, está em 450 milhões de euros. Seriam obtidos do lado da despesa, do corte da despesa em gorduras do Estado, e não do lado dos impostos, porque do ponto de vista fiscal o que separava mais o Governo do PSD era a questão do IVA, mas o PSD acabou por aceitar que o IVA aumentasse para 23%», disse, em declarações no «Jornal da Uma».

«Não se entendem de facto por uma ninharia e porque alguém não quer chegar a um acordo», considerou, acrescentando o lado da análise sob o ponto de vista externo: «Eu acho que quem está fora do país, os mercados internacionais que emprestam dinheiro a Portugal, quando olham para este desfecho perguntam como é que não se conseguem entender. 0,4% do PIB é muito pouco em termos macro-económicos, em termos do Orçamento. Era possível arranjar uma receita extraordinária que cobrisse esta diferença».

No fundo, o que separa as duas partes «é menos do que um submarino, que custa 550 milhões de euros», por isso «os mercados não entendem».
Redação