Paulo Macedo vai ser o próximo homem forte da Caixa Geral de Depósitos. A informação, inicialmente avançada pelo Jornal de Negócios, foi confirmada pela TVI.

Depois de numa primeira fase ter recusado o convite, Paulo Macedo, terá sido sensível aos argumentos do executivo que tem sentido dificuldades em encontrar uma alternativa para substituir António Domingues.

Isso mesmo explicou a comentadora da TVI, Constança Cunha e Sá, na 21ª Hora, na TVI24. Paulo Macedo hesitou em aceitar o convite dirigido pelo Governo de António Costa, porque também tinha sido convidado para ir para o Banco de Portugal e, inicialmente, preferia esse cargo.

Também António Costa, comentador da TVI, acentuou a ideia, dizendo que foi a dificuldade em encontrar outro nome que levou o Executivo a insistir junto do ex-ministro da Saúde.

Entretanto, a Lusa também já tinha avançado que o Governo estava a trabalhar com Paulo Macedo "na construção de uma nova equipa executiva para a CGD", citando fonte próxima do processo.

A mesma fonte afirmava que não existia "qualquer dificuldade" e que "o processo não teve qualquer intervenção do Presidente da República", uma vez que este assunto "estava a ser liderado pelo ministro das Finanças".

A nova administração da Caixa Geral de Depósitos deverá, entretanto, ser apresentada ao Banco Central Europeu esta sexta-feira.

A composição da equipa tem de primeiro seguir para Frankfurt, para receber o aval do BCE  e só depois o primeiro-ministro poderá cumprir com o prometido e dar a conhecer ao país o novo presidente do banco público até ao final da semana.

No entanto, segundo Constança Cunha e Sá, a equipa só deverá ser conhecida na próxima semana e, para já, deverá apenas ser o nome de Paulo Macedo a ser apresentado para aprovação.

Redação / PP (atualizado às 23:24)