O relatório da Segurança Social referente a 2017 mostrou que 71,4% dos pensionistas têm de viver com uma reforma abaixo ou igual a 421 euros por mês.

A esmagadora maioria dos pensionistas portugueses tem de gerir a vida com pensões que se encontram no limiar da pobreza.

Por detrás desses números, a TVI foi conhecer a história de um idoso que vive nestas condições.

Secundino Marques tem 71 anos e tem uma reforma de pouco mais de 371 euros por mês. Para ter mais algum dinheiro no fim do mês, limpa e arruma a casa do filho uma vez por semana.

Vai-se comprando umas calças do Continente que são mais baratas, uns sapatos de vez em quando. Não dá para nos alargarmos muito", diz Secudino, afirmando que, tirando as contas da renda da casa, da eletricidade e da água, tem cerca de 150 euros restantes todos os meses.

José Augusto Oliveira, representante da CGTP, afirma que, embora "os idosos tenham esta realidade, tendo salários baixos e pensões baixas, a realidade é alarmante também para aqueles que trabalham".

Os que trabalham e empobrecem ao mesmo tempo são um número bastante significativo", afirma José Augusto Oliveira, expressando a necessidade de existir um "salto" para mudar o panorama socio-económico português.

Na posse do novo Governo, António Costa assumiu como prioridade erradicar a pobreza dos mais idosos, prometendo que o executivo vai "elevar o complemento social para idosos até ao limiar da pobreza". De modo a que, nos próximos quatro anos, "todos os idosos possam libertar-se da condição de pobreza"