O eurodeputado do PSD Paulo Rangel declarou-se favorável a um «tratamento igual» para todos, questionado sobre a alteração ao Orçamento que permite que os cortes salariais sejam aplicados com adaptações no sector empresarial do Estado.

À margem da apresentação do seu livro «Uma democracia sustentável», editado pela Tenacitas, em Lisboa, Paulo Rangel defendeu, por outro lado, que as empresas não deveriam antecipar a distribuição de dividendos para este ano para pouparem nos impostos.

Sobre os cortes salariais, o ex-candidato à liderança do PSD afirmou: «Eu sou favorável a um tratamento igual e equitativo. É a minha posição», cita a Lusa.

«Embora compreenda que haja situações que serão situações muito delicadas em que talvez se justifique um tratamento diferente, eu preferia que todos assumíssemos - não apenas as empresas públicas mas também os privados - que os sacrifícios têm de ser partilhados por todos», acrescentou.

Paulo Rangel disse que isto «vale também para aquelas empresas que estão a antecipar dividendos para pouparem impostos».

«Acho que se elas dessem o exemplo dariam neste momento um grande sinal à sociedade portuguesa», considerou.
Redação / LF