Se ainda não entregou o IRS, terá de se apressar. Tem apenas até amanhã, quarta-feira, para o fazer.  A declaração automática abrange muitos contribuintes e veio facilitar o processo.

Sendo 31 de maio o prazo limite, quem entregar a declaração fora do prazo está sujeito a multa.

Veja também:

Quanto maior for o atraso, maior é a penalização. A coima começa nos 25 euros, para atrasos até um mês. Se ultrapassar esse período, já vai para os 37,5 euros.

Pior é que pode ter de pagar ainda mais do que isso. Se a Autoridade Tributária já tiver iniciado uma ação de inspeção na altura em que o contribuinte for entregar a declaração de substituição, a multa será de pelo menos 112,5 €.

Tenha também atenção que as omissões, divergências ou inexactidões sobre a sua situação tributária são alvo na mesma de uma penalização, que pode ir de 375 a 22.500 euros. Isto se não forem considerados fraude fiscal ou contraordenação.

Quando fizer a correção da sua situação fiscal e não houver, nesse caso, imposto adicional a pagar, os tetos da coima são reduzidos para um quarto.

Este ano, o Fisco deu dois meses a todos os contribuintes para entregarem a declaração de impostos.

Segundo a última atualização, até ao dia 15 de maio, as Finanças já tinham reembolsado cerca de 1.200 milhões de euros aos contribuintes, tendo processado o dobro dos reembolsos comparativamente ao mesmo período do ano passado.

Veja também: