Já se esperava que esta manhã começasse de olhos postos no BCP, depois de o banco ter anunciado uma queda de 90% nos lucros para cerca de 24 milhões de euros em 2016. As ações arrancaram a descer mais de 1%. Cada uma vale 0,1564 € a esta hora, acusando uma depreciação de 1,3%.

Muitos investidores perspetivaram que o banco liderado por Nuno Amado fosse apresentar prejuízos, o que acabou por não acontecer. Daí a reação a uma queda de 90% dos lucros não estar a ser tida como tão negativa assim nesta primeira reação em bolsa.

Amado destacou que foi um resultado "marginalmente positivo", "não obstante o reforço muito importante de [constituição de] imparidades", no montante de 1,6 mil milhões de euros", o valor mais elevado da sua história.

O presidente do BCP disse, ainda, estar "seguro" de que os investidores que participaram no aumento de capital do banco vão ser "recompensados a prazo" e destacou que parte importante da entidade continua a pertencer a acionistas portugueses.

Para além do BCP, também a EDP cai 0,7%, ditanto o rumo da bolsa nacional, que perde, a esta hora, 0,22%, seguindo iguamente as quedas por toda a Europa, à exceção do Reino Unido, que está em terreno ligeiramente positivo.