«Tínhamos essa suspeita de que pudessem configurar investimentos do próprio banco e manifestámos a nossa preocupação ao Banco de Portugal.  O Banco de Portugal já tinha conhecimento destas concessões de crédito e, de acordo com a informação que nos deu, não tinha outras informações que o levassem a pensar que se estava perante investimentos do próprio banco e não, genuinamente, empréstimos»








CMVM também sabia







clima de «tensão, desgaste e desconforto»