O Banco Mundial cortou as previsões para a economia global e prevê agora uma contracção de 1 a 2% para este ano.

Segundo as declarações do presidente da entidade, Robert Zoellick, em entrevista ao «Daily Mail», a queda prevista é inédita desde os anos 30, o que torna os tempos actuais «sérios e perigosos».

A confirmarem-se as previsões do Banco Mundial, esta será a primeira contracção registada pela economia mundial desde a II Guerra Mundial.

Quanto ao comércio global, o mesmo responsável diz que deverá registar este ano a maior queda das últimas oito décadas.