O metro ligeiro de superfície de Odivelas-Loures vai ter um custo previsto de 250 milhões de euros e deverá ser totalmente financiado através de fundos europeus provenientes do Plano de Recuperação e Resiliência, segundo o Governo.

De acordo com fonte do Ministério do Ambiente e da Ação Climática, que tutela os transportes urbanos, o valor indicado no documento preliminar referente ao Plano de Recuperação e Resiliência (PPR) entregue pelo Governo em Bruxelas corresponde ao investimento total da obra.

Os 250 milhões de euros correspondem ao investimento total, que se prevê que seja integralmente financiado através dos fundos europeus do Plano de Recuperação e Resiliência”, refere a resposta enviada à Lusa.

Prevê-se, acrescenta, “a conclusão dos estudos e projetos para arranque das obras em 2021, decorrendo as empreitadas entre 2022 e 2025”.

As Câmaras de Loures e de Odivelas, no distrito de Lisboa, anunciaram em setembro passado que vão desenvolver um plano para ligar os dois municípios por metro de superfície, um projeto que estimaram estar concluído até 2027.

Em declarações à agência Lusa no final de setembro, o presidente da Câmara Municipal de Loures, Bernardino Soares (PCP), adiantou que o projeto prevê cerca de 12 quilómetros de traçado e duas ligações, sendo uma Odivelas-Ramada-Santo António dos Cavaleiros-Hospital Beatriz Ângelo e outra Loures-Infantado.

Trata-se de um investimento que andará na ordem dos 250 a 300 milhões de euros, já com material circulante. Nós estamos de acordo com a opção de optar por um metro ligeiro de superfície porque ele tem uma capacidade significativa de transporte”, apontou o autarca.

Bernardino Soares realçou que a concretização deste projeto, com financiamento comunitário, “é importantíssimo para toda a Área Metropolitana de Lisboa”.

Também o presidente da Câmara Municipal de Odivelas, Hugo Martins (PS), realçou a importância desta obra, sublinhando que vai “libertar” a cidade em termos de estacionamento, de congestionamento de trânsito e dar “acesso direto ao Hospital Beatriz Ângelo.

Esta obra é essencial para o município de Odivelas e eu tenho dito, desde há longo tempo, que era urgente expandir o metro ao município de Loures para diminuir a pressão do tráfego, do estacionamento e da poluição na cidade de Odivelas”, referiu.

Hugo Martins estimou que a obra possa estar concluída até 2027, permitindo assim aos municípios beneficiar dos fundos comunitários.

Está previsto igualmente o metro de superfície ligar os concelhos de Lisboa, Loures e Oeiras, representando um investimento de cerca de 490 milhões de euros, anunciaram as câmaras no final de setembro, adiantando que vão avançar para a elaboração do projeto.

A nova linha - LIOS, Linha Intermodal Sustentável - terá uma extensão de cerca de 24,4 quilómetros e fará as ligações entre Cruz Quebrada (Oeiras) e Alcântara (Lisboa), e entre Santa Apolónia (Lisboa) e Sacavém (Loures).

A intenção de ligar o concelho de Oeiras ao de Loures através de um metro de superfície, atravessando a capital, já tinha sido anunciada pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, em abril de 2019.

/ HCL