Em 2017, cairá mais dinheiro na conta para muitos portugueses, mas mesmo assim a recuperação salarial está ainda longe do nível de 2010. Os contribuintes com ordenados mais baixos segundo escalão de IRS vão recuperar cerca de dois euros mensais com a eliminação da sobretaxa em janeiro. Só que continuam a ganhar menos do que há seis anos, segundo simulações da Deloitte para a agência Lusa.

Estas contas tiveram por base a proposta de alteração do PS à proposta de Orçamento do Estado para 2017 para o fim da sobretaxa para o segundo escalão de rendimentos (entre os 7.091 euros e 20.261 euros anuais) em janeiro.

Os contribuintes do terceiro escalão (entre 20.261 e 40.522 euros) continuam a fazer retenção na fonte da sobretaxa até ao fim de junho (0,88%) e os do quarto escalão (entre 40.522 e 80.640 euros) e do quinto (acima desses 80.640 euros) vão pagar até novembro de 2017 - com retenções de 2,75% e 3,21%, respetivamente.

Simulações

Solteiros, sem dependentes

Setor privado

1.000 brutos €

€ 755 líquidos + 2,25 € -45 € do que em dezembro de 2010

Nota: em janeiro estes trabalhadores vão receber menos 5,6% do que ganhavam em 2010.

Solteiros, sem dependentes

Função Pública

1.000 brutos €

€ 720 líquidos

+ 1,90 €

em relação a outubro de 2016, o primeiro mês sem cortes salariais

-75 € do que em dezembro de 2010

Nota: em percentagem ainda são menos 9,4% do que recebiam em dezembro 2010.

+++ Solteiros, sem dependentes, 5.000 euros brutos mensais +++

Solteiros

Setor privado

5.000€

€2.707,65€ líquidos em janeiro

O mesmo que em outubro de 2016

-367,35€ do que em 2010

Nota: em percentagem ainda são menos 11,9% face ao que recebiam em dezembro de 2010.

Solteiros

Função Pública

5.000€

€2.537,90€ líquidos em janeiro

O mesmo que em outubro de 2016

-512,10€ do que em 2010

Nota: em percentagem ainda são menos 16,8% face ao que recebiam em dezembro de 2010.

Impacto "reduzidíssimo"

"Esta proposta de alteração demonstra que há uma opção política clara de eliminar a sobretaxa até ao segundo escalão e de colocar o quarto e o quinto escalões no mesmo patamar", considerou Luís Leon, fiscalista da Deloitte, à agência Lusa.

"[A medida tem um] impacto reduzidíssimo, de dois ou três euros por mês", para os contribuintes do limite mais baixo do escalão.

Este aumento de cerca de dois euros ocorre entre o salário limpo recebido em outubro (que será igual até ao final deste ano) e o de janeiro de 2017. É de recordar que o segundo escalão de rendimentos pagou uma sobretaxa de IRS de 1% ao longo deste ano.

Nestas contas, a Deloitte assume que as tabelas de retenção na fonte mensal aplicáveis para o ano de 2016 se mantêm em vigor em 2017 e que a retribuição mensal mínima garantida se mantém em 530 euros. Assume também as alterações ocorridas no IRS e nos descontos para a ADSE e para a CGA (no caso dos funcionários públicos).

Redação / VC