Terminado o prazo de entrega do IRS, é tempo de fazer os primeiros balanços. Nem toda a gente recebeu ainda o reembolso ansiado, mas há já um balanço quanto ao valor médio devolvido a cada família: 955 euros. 

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais indicou, numa entrevista ao Jornal de Negócios e à Antena 1, que será publicada na próxima segunda-feira, que os reembolsos estão a demorar cerca de 23 dias a contar da data em que a declaração foi submetida pelos contribuintes. No ano passado, levaram em média 36 dias. Em 2015, foram 30 dias.

Ficou também a informação de que 30% dos agregados não têm nada a receber (1,4 milhões de declarações) ou terão mesmo de pagar IRS (daquelas que já foram processadas, 585 mil contribuintes não escapam). Receberão a nota de liquidação para efetivarem o pagamento do imposto até ao final de agosto.

Até hoje, o Fisco já liquidou 4,2 milhões de declarações de IRS. Todos os anos, costumam ser, no total, à volta das 5 milhões. 

Já foram emitidas, até agora, cerca de 2,1 milhões de ordens de reembolsos, ou seja, metade do total. Em valores, os reembolsos ultrapassam os 2,2 mil milhões de euros. 

Quanto ao IRS automático, uma novidade este ano, abrangeu cerca de 800 mil contribuintes. Na prática, aceitaram a declaração pré-preenchida no site das Finanças. Esta medida ajudou a reduzir os prazos de reembolso e veio facilitar o processo tanto para o contribuinte como para a Autoridade Tributária.