Portugal foi o país da União Europeia com maiores remessas de emigrantes em 2017. Os portugueses a viver no estrangeiro mandaram um total de mais de 3,5 mil milhões de euros para o país natal. 

O Eurostat, gabinete de estatísticas europeu, revela que dos 3.555 milhões de euros recebidos, um total de 2.117 milhões foram transferidos por trabalhadores dentro da UE e 1.437 milhões chegaram de fora do espaço europeu.

Portugal tem ainda o maior excedente (3.037 milhões de euros) no saldo das transferências de dinheiro. Isto porque apenas 518 milhões de euros foram remessas de imigrantes.

Depois de Portugal, vêm a Polónia (2,8 mil milhões de euros) e a Roménia (2,6 mil milhões) têm os maiores excedentes nas remessas.

Por outro lado, estes foram os países com maiores défices, de onde saiu mais dinheiro para o estrangeiro do que foi enviado de expatriados para o país:

França -10,6 mil milhões
Alemanha -4,6 mil milhões
Reino Unido -4,5 mil milhões
Itália -4,0 mil milhões

Na média da UE, o défice nas transferências de fundos foi de 22 mil millhões no ano passado (21,7 mil ME€ em 2016), tendo saído 32,7 mil M€ (31,8 mil M€ em 2016) e entrado 10,7 mil M€ (10,1 mil ME em 2016).