O rendimento mensal das famílias caiu 175 euros em relação a 2009. A revelação é do Jornal de Notícias, que faz as contas ao custo de vida para chegar à conclusão de que os portugueses ainda não recuperaram da crise. Mas mesmo tendo menos rendimentos, os portugueses pretendem gastar mais em compras de Natal

Em 2009, o rendimento médio mensal diponível das famílias portuguesas era de 2.554 euros. Dez anos depois, está em 2.379. As contas do Jornal de Notícias foram feitas com base em dados de empresas de consultoria e de crédito. Os portugueses até podem ganhar mais, mas feitas as contas ao custo de vida, têm menos 175 euros em média disponíveis por mês.

No entanto, curiosamente, pretendem gastar mais este Natal do que em 2009. Há dez anos, pretendiam gastar 180 euros com o Natal e agora reservam 388 euros. A ilusão de ter mais dinheiro no bolso e o crédito explicam esta intenção de gastar mais. Isto porque houve de facto um aumento do rendimento médio mensal das famílias. A subida dos preços acabou por anular esse aumento, mas as famílias têm a ilusão de ter mais dinheiro. Na verdade, só recuperaram 94% do que tinham em 2008 e, assim sendo, para poderem gastar mais estão a recorrer ao crédito.

Nos primeiros dez meses de 2019, o recurso ao crédito situou-se no valor mais alto dos últimos 15 anos, sendo o segundo mais alto de sempre. De janeiro a outubro os portugueses pediram 4.278 milhões de euros para consumo e para compra de casa conseguiram 8.522. Desde 2010 que não havia tanto crédto para habitação.