O presidente da Comissão Executiva da TAP, Ramiro Sequeira, disse esta terça-feira que as renegociações do ponto de vista de frota, que inclui adiamento da entrega de aviões Airbus, vão permitir poupar 1.300 milhões de euros até 2025.

A TAP conseguiu uma poupança de 1.300 milhões de euros até 2025 com todas as negociações do ponto de vista de frota e, do ponto de vista de fornecedores, está a garantir uma projeção entre 200 a 225 milhões de euros ano também de poupança”, afirmou Ramiro Sequeira, que está a ser ouvido na Assembleia da República, na comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, por requerimento do PSD e da Iniciativa Liberal.

Concretamente com a fabricante de aeronaves Airbus, o responsável lembrou que foi renegociada a entrega de 15 aviões, adiada para 2022 e para depois de 2025.

Este exercício foi importantíssimo para as contas da TAP, porque estamos a falar de mil milhões de euros”, apontou o presidente da Comissão Executiva.

 

Recordo que – grosso modo - os esforços que nós estamos a trabalhar do ponto de vista laboral são esforços economicamente similares aos que estamos a pedir ao que não é laboral”, apontou Ramiro Sequeira.

O responsável lembrou que a TAP vinha a levar a cabo uma renovação da sua frota, no sentido de a modernizar, tanto do ponto de vista do conforto do cliente, como do ponto de vista ambiental.

Já entre 2015 e 2019 a emissão de CO2 [dióxido de carbono] por passageiro reduziu-se cerca de 16%, um valor considerável na indústria, e, com esta transformação que nós estivemos a fazer até agora […] - a grande renovação foi feita entre 2018 e 2019 e, portanto, a partir de agora iríamos receber esses benefícios”, esclareceu.

Em setembro, a TAP anunciou ter chegado a acordo com a Airbus para adiar até 2027 a entrega de 15 aviões, que estava inicialmente prevista até 2025, e assim poupar cerca de 856 milhões de euros de investimento entre 2020 e 2022.

A transportadora aérea portuguesa justificou esta medida com a necessidade de controlar e reduzir custos, que inclui a suspensão ou adiamento de investimentos não críticos e a renegociação de contratos, face aos efeitos da pandemia de covid-19 na sua atividade.

A TAP tinha contratado com a fabricante de aeronaves Airbus a aquisição de 53 aeronaves (39 A320 NEO Family e 14 A330 NEO) a receber entre 2018 e 2025.

Destas, tinham sido recebidas até então 17 aeronaves.

Quanto ao contrato de aquisição de aeronaves da família A320neo, a TAP conseguiu adiar algumas entregas para 2021, bem como adiar a maioria das entregas originalmente previstas para 2021 e 2022 para o período entre 2025 a 2027.

/ CE - Notícia atualizada às13:12