Mais de 300 trabalhadores deverão perder o emprego em duas empresas do setor da aviação: a Portway e a Euroatlantic estão a reduzir pessoal através de rescisões amigáveis.

As duas empresas ligadas à aviação avançaram já com programas de rescisões por mútuo acordo, que deverão resultar na saída de 220 a 320 trabalhadores efetivos.

As empresas justificam as reduções com a crise causada pela pandemia. Já os sindicatos do setor denunciam pressões e ameaças de despedimentos.

A portway foi a primeira a avançar, logo em agosto. O programa fechou no final do mês passado e, segundo o sindicato dos trabalhadores da aviaçãoc civil, centenas de pessoas foram convidadas a sair. A Portway admitiu à TVI que o programa de rescisões ainda não ficou fechado. 

Já a Euroatlantic propõe rescisões a todos os trabalhadores efetivos.

A Euroatlantic Airways está a avaliar uma série de medidas que garantam a sustentabilidade da empresa, pelo que nos vemos obrigados a avançar com um processo de reestruturação e redução da estrutura da euroatlantic airways, que está ainda em avaliação", confirmou a empresa à TVI.

A empresa recusa avançar mais detalhes, mas o sindicato garante que a redução é significativa.