O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras esclareceu que a greve de 26, 27 e 28 não afetará o controlo de fronteiras, já que será feita apenas pelos funcionários administrativos, e afasta as preocupações levantadas pelo Governo britânico.

O esclarecimento foi feito na sequência de uma nota do Governo Britânico, que alertou os seus cidadãos para “possíveis perturbações nas entradas e saídas em Portugal por causa da greve marcada para os dias 26, 27 e 28 pelos trabalhadores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras”.

A greve referida pelo Governo britânico só diz “respeito aos funcionários administrativos do SEF”, tendo sido convocada pelo Sindicato dos Funcionários do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SINSEF)”.

Por isso, adianta em comunicado, a paralisação “não corresponde aos funcionários da Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF com funções diretas no controlo de fronteira”, lembrando que o Sindicato dos Inspetores de Investigação, Fiscalização e Fronteiras (SIIFF) suspendeu a greve marcada entre os dias 20 e 31 de dezembro.

O Governo britânico alertava na quinta-feira os seus cidadãos que iam viajar nessas datas que contassem “com mais tempo para passar os controlos fronteiriços à entrada e à saída de Portugal".