O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, afirmou, esta quarta-feira, que o Governo continua confiante num crescimento económico de 1,9% este ano, apesar de esta previsão ser mais otimista do que a divulgada pela Comissão Europeia.

Podemos falar se há mais uma décima, menos uma décima, mas continuamos a entender que os números que vamos conhecendo nos permitem estar seguros na previsão que o Governo fez de 1,9% de crescimento para este ano”, afirmou o ministro, à margem do 8.º Congresso dos Economistas que hoje termina na Fundação Gulbenkian, em Lisboa.

A Comissão Europeia manteve, esta quarta-feira, a sua previsão para o crescimento da economia portuguesa este ano e no próximo, antecipando uma expansão de 1,7% do Produto Interno Bruto (PIB), abaixo da estimativa de 1,9% do Governo para os dois anos.

As previsões da Comissão Europeia para este e para o próximo ano mantêm basicamente aquilo que já tinha dito na última previsão”, em maio, disse o governante, referindo que “mantêm a ideia de que Portugal vai crescer acima da média da União Europeia, não apenas este ano, mas também no próximo ano”.

Siza Vieira salientou que a Comissão Europeia nas suas previsões de verão, hoje divulgadas, incorpora as “dificuldades e incertezas” relativamente à conjuntura política mundial, os efeitos do ‘Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), e a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China.

Por isso, é se calhar um pouco mais pessimista relativamente ao próprio comportamento a União Europeia”, salientou o governante, acrescentando: “Em qualquer caso, é bom saber que as instituições continuam a convergir no sentido de que Portugal vai crescer mais que a média da UE”.

A Comissão Europeia reviu, esta quarta-feira, em ligeira baixa a previsão de crescimento da economia da zona euro para o próximo ano, antecipando que acelere muito moderadamente, de 1,2% do PIB este ano para 1,4% em 2020.

Para o conjunto da União Europeia a 28, a Comissão manteve as suas previsões, que apontam para um crescimento de 1,4% em 2019 e de 1,6% em 2020.