A agência de 'rating' Standard and Poor's (S&P) não se pronunciou hoje acerca da classificação da dívida portuguesa nos mercados financeiros, mantendo-a em nível de investimento (BBB) com perspetiva estável.

A agência norte-americana tinha uma possível pronúncia agendada para hoje, mas acabou por não se pronunciar, ao contrário do que sucedeu com outros países, como a Ucrânia, Áustria ou Noruega.

Na página de Portugal no 'site' da S&P é possível observar que a última data de revisão corresponde à de hoje, sem que tenha havido a emissão de qualquer comunicado de imprensa ou análise sobre o país.

Por outro lado, Portugal consta de uma lista em que "não foi publicada nenhuma atualização de investigação" por parte da S&P hoje, tal como Malta ou o Luxemburgo.

Assim, mantém-se a classificação reforçada na última revisão, datada de 11 de setembro do ano passado, em que a agência dizia que mantinha o 'rating' e a perspetiva por considerar que Portugal deverá ser capaz de acomodar o choque da atual crise nas finanças públicas devido ao apoio da União Europeia.

Na nossa opinião, o compromisso das autoridades portuguesas com políticas favoráveis ao crescimento e com finanças públicas prudentes irá sobreviver a uma recessão global abrupta e sincronizada de um a dois anos”, afirmou então.

Há duas semanas, a agência de 'rating' DBRS Morningstar também manteve a classificação da dívida pública portuguesa em BBB (alto) com perspetiva estável, em nível de investimento.

"A confirmação da perspetiva estável equilibra o abrupto choque sanitário e económico com melhorias em indicadores chave do 'rating' nos anos anteriores à crise", pode ler-se na nota divulgada em 26 de fevereiro pela agência canadiana.

A DBRS Morningstar foi a primeira agência a pronunciar-se sobre o 'rating' de Portugal este ano, mantendo a tendência do ano passado, em que a Fitch, Standard and Poor's e Moody's mantiveram a classificação da dívida nacional em nível de investimento.

Em novembro, a Fitch manteve o 'rating' da dívida de longo prazo de Portugal em BBB, nível de investimento, e com perspetiva estável.

Em julho, a Moody's não se pronunciou sobre o 'rating' e perspetiva de Portugal, mantendo a classificação de Baa3, acima do 'lixo', para a dívida de longo prazo e a perspetiva positiva, feita em 2019.

O ‘rating’ é uma classificação atribuída pelas agências de notação financeira que avalia o risco de crédito (capacidade de pagar a dívida) de um emissor, que pode ser um país ou uma empresa.

/ MJC